AS DEZ PERGUNTAS QUE UM PSICÓLOGO ADORA RESPONDER

borboleta

 

1. O TRABALHO DO PSICOTERAPEUTA NÃO É DAR CONSELHOS.
Acredite, eles não estão ali para dizer se você deveria desistir de seu namoro ou trocar seu emprego. O verdadeiro trabalho da psicoterapia é fazer você se conhecer melhor e flexibilizar a maneira como você pensa, se comporta ou como está entendendo o ambiente em que vive.
Pode-se falar sobre estratégias para lidar com um transtorno mental, como a depressão, a ansiedade ou o transtorno bipolar, mas quando se trata de suas decisões pessoais de vida, os psicoterapeutas agem mais como instrumentos para uma tomada de decisão. Reflita: “Você quer vir para a análise para dar seu poder a outra pessoa, ou quer aprender a ter esse poder de escolha em suas mãos?”

2. PSICÓLOGOS NÃO PRESCREVEM MEDICAMENTOS.
Esse é o trabalho de um psiquiatra ou clínico geral — não de um psicólogo ou psicanalista. No entanto, o psicoterapeuta pode trabalhar junto de um psiquiatra, indicando seu paciente para tratamento ou recebendo-o através da sua indicação.

3. SEU PSICOTERAPEUTA NÃO LHE CUMPRIMENTARÁ PUBLICAMENTE ( exceto se você for ao encontro dele).
Não fique preocupado ao encontrar o seu psicoterapeuta em um restaurante ou na escola de seus filhos. Há um bom senso de que o psicoterapeuta deve permanecer anônimo, a não ser que o paciente lhe apresente, lhe cumprimente ou fale diretamente com ele. Mas, fique tranquilo, o terapeuta saberá manter a discrição

4. PSICÓLOGOS TAMBÉM DEVEM FAZER TERAPIA.
Eu, particularmente, não confio em um terapeuta que não faça terapia. Os psicoterapeutas devem ter os seus próprios analistas — claro que muitas vezes não há necessidade de recorrerem a ele o tempo todo, mas no tempo que for preciso, isso varia mas é recorrente. Bons programas de formação em psicanálise exigem que os candidatos façam terapia e supervisão.

5. O PSICOTERAPEUTA NÃO FALA SOBRE SEUS PROBLEMAS COM OS AMIGOS.
Existe uma ética e leis que fazem com que tudo o que se diga ao psicoterapeuta seja em tom de confidencialidade. Claro que algumas vezes um analista, se for dos bons, se reúne com outros colegas de profissão para discutir casos mais complicados, trocar informações ou aprimorar a resolução de um conflito. Entretanto essa troca de aconselhamento preserva totalmente a identidade do paciente.

6. VOCÊ NÃO PRECISA TER ALGUM TRANSTORNO MENTAL PARA IR À TERAPIA.
É frequente ouvir: “Não sou louco para precisar de terapia”. Acredite, há diversas razões pelas quais as pessoas vão para terapia, que nada têm a ver com distúrbios mentais. Claro que também existem casos em que a pessoa recorre a terapia pois está com algum distúrbio mental, mas isso não é motivo para sentir vergonha. Na realidade alguém que busca tratamento para se equilibrar de um conflito, é uma pessoa que tem discernimento para buscar uma melhor qualidade de vida, que busca obter ajuda e conversar com um especialista, assim como buscaria ajuda para qualquer outra questão médica, como um dentista se o problema for nos dentes”.
Frequentemente é nessa situação que a pessoa hesita em procurar ajuda de uma psicoterapia, ouve que não precisa pagar para obter esse tipo de tratamento, que somente loucos procuram terapia e assim, constrangidos, leva sua vida até ficar no limite.

7. ELE PROVAVELMENTE NÃO PESQUISA SOBRE O PACIENTE NA REDE SOCIAL.         Invasão de privacidade é algo sério e terapeutas não devem fazer isso, mesmo que seja em mídias onde a publicação do paciente é pública. Acontece que a mídia social não transparece a realidade do conflito do paciente e o analista não quer se deixar influenciar pelo que está exposto e não foi dito em consultório. O fato de pesquisar a vida do paciente toma tempo e as respostas que ali aparecem são superficiais, influenciando de forma negativa o tratamento terapêutico.

8. A PSICOTERAPIA NÃO OFERECE MILAGRES.
Não espere chegar ao consultório de seu analista e sair de lá com o conflito resolvido em um passe de mágica. Perceba, o analista é um instrumento que lhe auxiliará na resolução do conflito, mas esse é um trabalho seu e para isso torne-se participativo e resolutivo.

9. O PSICOTERAPEUTA NÃO TEM RESPOSTA PRONTA.
É uma pena, mas o psicoterapeuta não tem capacidade para saber sobre tudo e resolver conflitos com palavras mágicas. Existe um estudo especial pelo qual o psicoterapeuta teve de passar para conseguir compreender melhor as atitudes humanas, as emoções e uma qualificação para trabalhar com conflitos. Entretanto o psicoterapeuta está também em permanente evolução, aprendendo sempre, e superando as dúvidas na medida em que elas aparecem.

10. O PSICOTERAPEUTA SE SENTE GRATO EM PODE AJUDAR PESSOAS
É muito comum o analista ouvir que deve ser muito pesado ouvir o problema das pessoas durante todo dia. Mas veja, os psicoterapeutas não veem a sua profissão como um fardo pesado. A oportunidade de ser um instrumento para melhoria de vida, para transformação, de alívio para pessoas que sofriam, é, na realidade, a grande motivação do analista. Mais do que ouvir problemas, o analista está ali para ressignificar experiências e isso, pode crer, faz a felicidade do analista, faz tudo mais valer a pena. Porque o bom psicoterapeuta é apaixonado por sua profissão.

Amizades que vem e que vão

images

A AMIZADE PRECISA TER UMA BOA BASE

As pessoas estão habituadas demais a relacionamentos descartáveis, cheias de egoísmo e no estilo “só te procuro se você me procurar também”. E assim o mundo vai ficando uma chatice só, cheio de gente que não se importa verdadeiramente com o outro, mas sim com aquilo que o outro pode oferecer em troca de atenção, de amizade ou de amor.Muitas amizades terminem por causa de diferenças morais e ideológicas. Amigos ligados fundamentalmente pelos laços da afinidade intelectual interpretam as mudanças de opinião como traição. Em terceiro lugar, parece que as pessoas procuram alguém que lhes seja leal não apenas nos bons mas também nos maus momentos da vida. E elas se ressentem quando seus amigos agem diferentemente do esperado.

FELIZ NÃO É TER UM AMIGO VERDADEIRO, SENÃO SER UM VERDADEIRO AMIGO 

A amizade não deve ser definida por aquilo que o outro nos representa, mas pelo afeto que nutrimos por ele. Consequentemente, não deveríamos contabilizar quantos amigos temos, mas de quantas pessoas somos amigos. Feliz não é aquele que tem um amigo verdadeiro, mas aquele que consegue ser amigo verdadeiro de alguém, e ser amigo verdadeiro de alguém significa simplesmente gostar verdadeiramente de outra pessoa. Talvez seja por isso que as amizades de hoje são tão frágeis. As pessoas não gostam umas das outras. E como gostar verdadeiramente de alguém quando esperamos dos outros a companhia que nunca falha, a afinidade perfeita e a lealdade eterna? Quem espera isso dos outros vive frustrado e contrariado, e não há afeto que possa brotar e se desenvolver na aridez da frustração e da contrariedade.

E aí, talvez por isso mesmo, tem aquelas amizades que não vão pra frente. Até são bacaninhas por um período, mas depois de um tempo você percebe que não criaram raiz, não ‘vingaram’. Pode até ser que haja alguns investimentos e novas tentativas, mas não adianta, se precisa de esforço demais pra manter a amizade, dificilmente ela sobrevive. E tudo bem também. Na vida há muitas pessoas que não escolhemos conviver, mas precisamos aprender a lidar. Se o amigo é um daqueles poucos que escolhemos, pra que continuar insistindo em relações que definitivamente não dão certo? E neste caso não se trata de egoísmo ou de descartar a relação, mas sim de deixar o outro e a si mesmo livres para novos e verdadeiros encontros.

Em primeiro lugar, parece que as pessoas procuram em seus amigos alguém para acompanhá-las nas suas atividades. Isso faz com que as amizades sejam facilmente esquecidas assim que uma companhia mais interessante apareça. Essa companhia mais interessante pode ser outro amigo ou um parceiro amoroso. É bastante comum hoje em dia as pessoas se distanciarem de seus amigos quando começam a namorar, por exemplo. E o distanciamento de uns é retribuído com o ressentimento dos outros. Em segundo lugar, parece que as pessoas procuram em seus amigos alguém com as mesmas idéias e gostos que elas.

O TRIO PERFEITO: COMPANHIA+LEALDADE+AFINIDADE

Em suma, o amigo ideal é a encarnação do trio ‘companhia + afinidade + lealdade’. Analisando esse trio friamente, é fácil entender por que a amizade verdadeira é tão difícil de conquistar. Os mais dramáticos dizem que um amigo verdadeiro é a maior riqueza que alguém pode alcançar na vida. Porém, num mundo impermanente, cheio de reviravoltas e imprevistos, formado por pessoas que precisam mudar o tempo todo para se desenvolver e se adaptar, é óbvio que nossos amigos vão nos deixar sozinhos muitas vezes, vão passar a pensar e a sentir de forma contrária à nossa e vão agir diferentemente do esperado por nós. E se nossas amizades forem sustentadas na base do trio ‘companhia + afinidade + lealdade’ seremos obrigados a concordar que preservar um amigo verdadeiro por toda a vida será mais difícil que achar um amor eterno. A amizade precisa ter outra base. Mesmo porque, chamar de amigo apenas aquele que satisfaz o trio ‘companhia + afinidade + lealdade’ é chamar de amigo apenas aquele que tem alguma utilidade para nós. Definir a amizade por esse trio é defini-la com base na serventia do outro: Amigo é aquele que serve para fazer companhia, aquele que serve para nos deleitarmos com nossas próprias idéias e aquele que serve para nos auxiliar quando precisamos. Uma definição bastante mesquinha de amizade, não é verdade? É mesquinha, egoísta e hipócrita! Essa definição é, infelizmente, bastante comum, e ela é tão mesquinha, egoísta e hipócrita porque nela definimos a amizade com base naquilo que o amigo deve representar para nós quando, ao invés, deveríamos defini-la com base naquilo que sentimos por ele.

 

VAMOS FALAR DA ANSIENDADE

ansiedade-1-638

 

PORQUE É TÃO DIFÍCIL PARAR DE SE PREOCUPAR?

 

A ansiedade é uma sensação ou sentimento decorrente da excessiva excitação do Sistema Nervoso Central consequente à interpretação de uma situação de perigo. É o grande sintoma de características psicológicas que mostra a intersecção entre o físico e psíquico, uma vez que tem claros sintomas físicos, como: taquicardia, sudorese, tremores, tensão muscular aumento das secreções, cefaleia. Quando recorrente e intensa também é chamada de Síndrome do Pânico (crise ansiosa aguda). Toda esta excitação acontece decorrente de uma descarga de um neurotransmissor chamado Noradrenalina, que é produzido nas suprarrenais, lócus cerúleos e núcleo amigdaloide.

 

Qual a origem da ansiedade?

  1. A primeira é que a ansiedade poderia ter uma origem genética, ou seja, a pessoa herda de seus ancestrais uma pré-disposição para ter estes sintomas. Nestes casos, as manifestações podem ser bastante precoces, sendo a pessoa desde cedo uma criança agitada, às vezes hiperativa, que chora com facilidade e às vezes até com dificuldade de dormir.
  2.  A segunda é uma infância carente e problemática, na qual as dificuldades dos pais, mas principalmente da mãe, de passar afeto e suprir as carências afetivas da criança fazem com que ela se sinta insegura e exposta,  agrave e condicione um sentimento de que coisas ruins e sensações negativas podem acontecer a qualquer momento.
  3. A terceira é a dificuldade de incorporar fatos e intercorrências novas ou desconhecidas. O velho ou conhecido sempre traz a sensação de segurança e controle.
 O novo, por sua vez, tem a capacidade de potencializar a sensação de medo no sentido de que algo ruim ou perigoso pode vir a acontecer.

 

 Uma condição em que vive o ser humano da atualidade

Ela não é uma doença em si, mas é um desequilíbrio de como vemos a nós mesmos, pensamos a nosso próprio respeito e idealizamos nossas vidas e futuro. Não é a ansiedade que nos mata, mas sim a reação que temos para com ela. 
A principal característica psíquica do estado ansioso é uma excitação, uma aceleração do pensamento, como se estivéssemos elaborando, planejando uma maneira de nos livrar do perigo e da maneira mais rápida possível.  Muitas vezes traumas de infância, grandes sustos, perdas afetivas ou mesmo materiais também podem desencadear quadros ansiosos importantes, mas não chegariam a ser causas específicas. A ansiedade corresponde à excitação do neurônio e a sua necessidade de descarregá-la. Ela, normalmente, é desencadeada quando a pessoa entra em contato com situações novas e desconhecidas ou quando a situação contém alto valor afetivo.

Para poder combatê-la, o primeiro passo é identificá-la. O corpo fica tenso, existe uma necessidade de se movimentar fisicamente (mexer pés ou mãos e inquietação em geral), a respiração está mais acelerada e o pensamento fica agitado (muitas ideias passam pela cabeça de forma acelerada). Algumas vezes a cabeça fica confusa e não se sabe direito o que se quer.

Uma vez identificado este estado deve-se focar na respiração. A frequência respiratória precisa ser diminuída. Deve se inspirar lentamente e encher o pulmão em mais ou menos 75%. Em seguida deve-se expirar e tirar todo o ar do pulmão, com a ajuda do diafragma, também de forma lenta.

 

Respire fundo, lenta e compassadamente pelo maior tempo que você for capaz, isto ajuda a desacelerar

A respiração tem a capacidade de controlar o corpo e a mente. Este tipo de exercício deve ser feito por pelo menos 10 minutos e deve-se tentar manter a cabeça vazia. Os Yogues já sabem destas coisas há mais de 3000 anos. A ansiedade é desencadeada por preocupações. Uma incerteza que desperta o nosso pessimismo, e a sensação de algo muito ruim vai acontecer. Esta é a hora de parar, quanto maior a nossa pressa para atingir o objetivo, maior a ansiedade. E que é preciso fazer algo para evitar o pior.

“Esvazie a cabeça quando estiver ansioso e confie que, de forma lenta, você chegará num ponto de proteção, abra mão mentalmente de sua meta e objetivo por um tempo. Só até recuperar o equilíbrio. Mente acelerada é mente desequilibrada” DR. Isaac Efraim.

Se depois de cuidar da respiração, (meditaçao) você não melhorar, procure a ajuda de um profissional terapeuta.

 

Este é um grito de alerta

Pessoas com maior pré-disposição a ter ansiedade são as que trabalham mais com o cérebro, são as mais intelectuais e racionais. Junte-se a isso um passado com algum trauma ou um ambiente de muita pressão ou exigência e certamente surgirá a ansiedade em algum momento da vida. A característica principal é que tal pessoa precisa estar no controle da situação. São pessoas altamente competentes, mas que se sobrecarregam com exigências de si mesmas. No fundo elas têm medo de serem rejeitadas.

Sem perceber a sociedade -consumista, rápida e estressante – alterou algo que deveria ser inviolável, o rítmo de construção de pensamentos, gerando consequencias seríssimas para a saúde emocional. Como o prazer de viver, o desenvolvimento da inteligencia, a criatividade e a sustentabilidade das relações sociais.(Segundo Augusto Cure.)

Adoecemos coletivamente!

 

Casamento, um processo de transformação

images

 

UMA DOAÇÃO CONTÍNUO

Penso que casamento é doação, uma atitude contínua de crescimento, quando duas pessoas  se propoem estar casadas, elas devem criar hábitos que ajudam a fortalecer a relação. “Atitudes rotineiras que promovem a sensação de pertencimento – do compartilhamento de um conjunto de crenças e valores comuns que dão significado ao que pensamos e sentimos – contribuem para a cumplicidade do casal. Quando um casal cria rituais que expressam o carinho e a consideração de um pelo outro, tem-se a sensação de que a relação é um pequeno universo privado com códigos e símbolos próprios. Isso acentua o vínculo conjugal porque potencializa a força identitária da linguagem e do espaço comum”. Angelita.

A individualidade de cada um deve ser preservada. Contudo, é fundamental que haja condições para que o casal se reconheça como tal, ou seja, como duas pessoas com metas, objetivos e propósitos comuns. Quando se trata de investimento de tempo do casal, na relação a dois são as saídas a passeio – o namoro – que pode incluir cinema, jantar, teatro, o que quer que satisfaça o casal. Sair à noite para um programa especial deveria ser uma proposta, no mínimo, mensal de um casal. O ritual de escolher o programa, arrumar-se, sair, investir tempo, dinheiro e afeto no lazer comum, indica que ainda desejamos encantar o outro e satisfazer a nós mesmos, o que é significativo numa relação a dois

ESTREITANDO OS LAÇOS

“Muitos casais só se tocam na hora do sexo. Fora da cama são frios, não demonstram carinho, não andam de mãos dadas, não se abraçam, nem se beijam”, diz Angelita Scardua, psicóloga especialista em felicidade, da Universidade de São Paulo (USP). Ora, como o sexo pode ser envolvente se a intimidade do casal está por um fio? Infelizmente, não existe receita de sucesso. Mas você pode repensar esse quebra-cabeça: “Ter uma vida a dois é compartilhar, trocar, se doar, dar e receber prazer”, diz Jussania. Então, invista no contato físico. Lembre: o sexo começa muito antes de irem para a cama. Dê um beijo de bom-dia na parceira, aconcheguem-se no sofá, reservem tempo para conversar. “Estreitar os laços emocionais ajuda a entender como se pode oferecer prazer.”

Segundo Angelita casais felizes comprometem-se com o prazer um do outro. Toda vez que uma pessoa vai dizer/fazer alguma coisa a uma outra, ela deveria se perguntar: O quanto de prazer e o quanto de dor a atitude dela causará. O problema é que a maioria de nós não calcula os danos que os nossos hábitos podem causar, com isso ignoramos os sentimentos do outro e agimos impulsivamente.

CULTIVE A SIMPATIA

Faça o seguinte exercício: por pelo menos um dia, tente manter o foco em tudo o que você diz e faz em relação ao outro. Pergunte-se: “O que estou para dizer/fazer causará mais sofrimento ou mais prazer para ele(a)?” As pessoas, em geral, vão ao longo do tempo habituando-se a criticar e a serem criticadas por seus parceiros indiscriminadamente. Pequenas manias, implicâncias, coisas bobas passam a fazer parte do repertório de gestos e verbos utilizados pelo casal como se não causassem nenhum dano ao vínculo afetivo.

É PRECISO ACREDITAR!

Há momentos difíceis em todos os casamentos. Sim, há momentos difíceis no seu casamento e tambem no meu. Devemos estar prevenidos sobre isso para não abandonar o barco. A tormenta pode passar. Enfim, o casamento não veio pronto e acabado, mas é algo que se constrói dia a dia com os tijolos do amor, da renúncia e do compromisso.

 

TERAPIA DE CASAL

Os desafios e dificuldades de uma vida à dois, as brigas, o fracasso e o desapontamento podem servir como um impulso para a mudança e o crescimento. É importante buscar ajuda profissional, mesmo quando parece que já esgotaram todos os recursos, pois uma relação satisfatória é um bem imensurável. É preciso se dar a chance. Continuar lendo

Positividade

Seja Feliz, você merece!

  

Fui criado para ser feliz e não infeliz. Gosto de ser feliz, quero, posso ser feliz, quero, já comecei a ser feliz. Cada dia que passa, mais coisas boas me acontecem. E, quando acontecem, sei que virão mais. É apenas o começo. Quando acontecer alguma coisa contrário ao que eu queria, pensarei de que forma posso transformar isso em coisa boa, melhor ainda do que seria se tivesse acontecido como eu queria. Todo o progresso da humanidade, em todas as áreas, só se deu por causa de problemas. Os problemas acontecem para que há já progresso. É assim que eu vejo. Vítima não sou. Sou um vencedor.
Rejeito, renego, não aceito de modo algum nada que seja negativo, nada que me faça mal, nada que me prejudique. Cancelo a negatividade da minha vida, tanto as experiências negativas do passado, como as do presente. Evito até frases negativas. Cultivo somente emoções positivas. Não deixo ninguém me desrespeitar, não deixo ninguém me pisar, não deixo ninguém judiar de mim. Eu me amo e exijo ser bem tratado. Eu me respeito e exijo respeito. Não deixo ninguém me dominar por ameaças, nem por chantagem de espécie alguma. Sou dono de mim. Sempre vem em minha mente o que fazer, como resolver.
Quando faço alguma coisa, eu me pergunto se aquilo é bom para mim. Quando encontro uma pessoa, eu me pergunto se ela me puxa para cima ou para baixo. Procuro fazer o que me eleva. Só me associo com pessoas que me elevam. Se alguém me enviar algum mal, bate e volta. Crio formas de me imunizar contra a negatividade das pessoas que não posso tirar do meu dia-a-dia. Quem não quer ir comigo para cima, que vá para baixo sozinho.
Sou livre. Meu Criador me fez livre. Não me deixo escravizar. Eu escrevo a história da minha vida e faço dela uma história bonita. Sou igual a todo mundo. Se há gente melhor que eu, também há pior. Isso é assim com todos. Não me julgo inferior a ninguém porque não sou inferior a ninguém. Eu me amo e me aceito e faço por progredir. Eu não sei o que é acomodação. Sou ativo, faço as coisas acontecerem.
Não tenho culpa a pagar. Se, por acaso, fiz ou fizer algum mal, procuro consertar logo e vou em frente. Errar é humano. Ninguém é perfeito. Luto para me aperfeiçoar, mas não me angustio quando erro porque errar é humano. Meu Criador é bom e ainda está fazendo em mim o trabalho de perfeição.
Deus está comigo, tudo dá certo. Não tenho medo de nada porque Deus está comigo e me guarda. O medo é atraso da vida. Também não me arrisco à toa. Se for necessário arriscar, prevejo, calculo antes. Antes de dar um pulo, examino aonde vou. Ao meu redor há um círculo de luz que nenhum mal pode atravessar. Atraio o bem, só faço o bem. Se alguém quiser me fazer mal, sentirá algo ruim e não conseguirá, se desviará de mim. Uso da minha agressividade para construir para mim e nunca para me agredir. Aproveito as oportunidades para melhorar; crio, invento como melhorar. Administro bem meus talentos. Toda a natureza trabalha em meu favor. Cada dia que passa me torno melhor em tudo, e mais seguro. Consigo tudo o que quero. O Senhor é meu Pastor, nada me falta. Quando acordo de manhã, ponho meus pés no chão e digo: Deus está comigo, hoje tudo vai dar certo! Obrigado, Senhor!

 Dr. Olegário de Godoy

… Ser feliz ou estar feliz?

 

Afinal o que nos faz feliz?

Dinheiro, saúde, beleza, juventude, cultura, sorte… sabemos que não são suficientes para curar o vazio existencial.  Necessitamos de muito mais do que isto, necessitamos uns dos outros, necessitamos dos fortes laços afetivos, amorosos, familiares e com amigos. (É comum em fim de ano o vazio existencial se manifestar.) É  a busca incessante por encontrar-se a sí mesmo.

 Buscando através da terapia, onde um bom profissional tratará de de ajudar o paciente a desenvolver habilidades e potenciais, se colocando ”no lugar do paciente”. Empatia, o que é empatia? Em linhas gerais, é ter consideração positiva incondicional, receber e aceitar a pessoa como ela é e expressar um afeto positivo por ela, simplesmente por ela existir, não sendo necessário que ela faça ou seja isto ou aquilo; a empatia, por sua vez, consiste na capacidade de se colocar no lugar, ver o mundo pelos olhos dele e sentir como ele sente, comunicando tal situação para ele, que receberá esta manifestação como uma profunda e reconfortante experiência de estar sendo compreendido, não julgado.

congruência, é a condição que permitirá ao profissional de psicologia, ter um afeto positivo e incondicional por seu cliente e ter a capacidade de “estar no lugar” dele, a habilidade de expressar de modo objetivo seus sentimentos e percepções, de modo a permitir ao paciente as experiências de reflexão e conclusão sobre si mesmo.Para Rogers, existe em toda a vida um impulso para expandir-se, tornar-se autônoma, desenvolver-se e amadurecer, expressando e ativando potenciais de auto-realização e atuando como uma força motivadora dominante nas pessoas que estão funcionando de um modo mais livre, existencial.  O crescimento seria, portanto, central e possível para o projeto do organismo como um todo; embora também possa ser facilmente distorcido ou reprimido pelas crenças e eventos passados que sustentam incongruências e nos paralisam.

A necessidade de amor ou de consideração positiva é universal, e uma vez que crianças não distinguem exatamente suas ações de seu ser total, costumam reagir à aprovação ou reprovação de uma ação como se esta na verdade representasse uma aprovação ou reprovação de si mesmas. Em função da importância fundamental do amor na vida de uma criança, esta passará a agir de forma a garantir mais amor e aprovação, inclusive através de comportamentos não saudáveis para si mesma. Desta forma, crianças podem agir contra seus próprios interesses, repudiando partes aparentemente não atraentes, embora autênticas, de sua personalidade, constituindo áreas de incongruência pessoal (Ballone, 2005).

 Em acompanhamento terapêutico  percebe-se então, por exemplo, que a expressão de uma afetividade incondicional só ocorre devidamente se brotar com sinceridade do psicólogo; não há como simular tal afetividade. O mesmo ocorre com a empatia e com a congruência. Por isso se diz que não existe uma “técnica rogeriana”, mas sim psicólogos cuja conduta pessoal e profissional mais se aproximam da perspectiva de Carl Rogers.

Outro ponto a considerar é que após longos estudos, Carl Rogers chegou a conclusão de que as três condições que descobriu são eficazes como instrumento de aperfeiçoamento da condição humana em qualquer tipo de relacionamento interpessoal, tais como: na educação entre professor e aluno; no trabalho entre chefes e subordinados; na família entre pais e filhos ou entre marido e mulher.

Se cuida, … e um bom dezembro

Abraço

Exercício de amor

“A gratidão nos aproxima do amor”.

Reflita se você também percebe isso… Pense no sentimento de gratidão e traga à sua mente momentos felizes, lembranças de pessoas amadas ou lugares que você gosta. Traga em imagens, sons e sentimentos estes momentos e perceba o sentimento de gratidão tomar conta de você. Provavelmente você sentirá de imediato uma sensação prazerosa de bem-estar e felicidade.

Um dos exercícios que a Psicologia Positiva traz para diminuirmos a depressão e ainda aumentar o bem-estar é a VISITA DE GRATIDÃO.

Sua tarefa é escrever uma carta de gratidão a alguém e entregá-la pessoalmente para fortalecer seu relacionamento. Vou descrever abaixo:

Feche os olhos. Traga à mente o rosto de alguém ainda vivo que fez ou disse algo que mudou a sua vida para melhor e que você poderá visitá-la.

Informe-a sobre o que está fazendo agora e mencione que se lembra frequentemente do que ela fez. No encontro pessoal, leia a carta em voz alta e depois discutam o conteúdo e seus sentimentos um pelo outro.

Você poderá realizar com quantas pessoas sentir vontade. Caso queira, a carta de gratidão pode ser escrita a alguém que já tenha falecido. Escreva e imagine a visita de gratidão. Posteriormente, guarde-a em um local especial.

Quando praticar este exercício, perceberá o sentimento de gratidão e amor invadirem seu coração e seu corpo sentirá uma enorme sensação de bem-estar. Pode acreditar! Falo por mim!

Observação: Este exercício foi extraído do livro Florescer de Martin Seligman (página 41)

O abraço reduz o estresse e a pressão artererial

images

Os homens sempre arrumam uma desculpa para dormirem um pouco mais afastado das mulheres. Está quente, precisa de espaço, não está confortável são algumas das mais famosas frases. Apesar disso, uma pesquisa diz que há mais carinho em um abraço do que em um olhar.

Os abraços podem trazer alguns benefícios à saúde que podem convencê-los a mudar de ideia.

1. É muito bom: o abraço libera uma substância chamada oxitocina, também conhecida como o hormônio do bem-estar, aumentando a felicidade geral da pessoa.

O abraço também pode liberar endorfinas, mesma substância química liberada após um bom treino ou quando você come chocolate. Ela também contribui para esse bem-estar.

2. Faz você se sentir sexy: o benefício mais óbvio para o abraço entre um casal está no sentido físico. Ele pode levar o casal a ter um momento divertido, relaxante e amoroso após o ato sexual.

Além disso, há também a liberação de dopamina, um hormônio que aumenta o desejo sexual. Estudos mostram que o sexo faz bem para o corpo e para a mente.

3. Reduz o estresse e a pressão arterial: o contato físico com outras pessoas pode ajudar a reduzir o estresse. Abraçar e beijar aumentam os níveis de oxitocina que pode ajudar a diminuir pressão arterial, reduzindo o risco de doenças cardíacas, estresse e ansiedade.

4. Ligação entre mulheres com os bebês: o abraço também é saudável por conta do apego emocional. A ocitocina está intimamente ligada ao parto e a amamentação e, segundo um estudo, tem um papel biológico na ligação entre mãe e bebê.

É saudável querer estar perto de alguém. O abraço será ainda melhor se você contar ao seu parceiro sobre o quanto se sente bem e confortável quando ele chega perto.

5. Ajuda na comunicação: o abraço não causa apenas atração física. A maioria dos casais queixam-se problemas de comunicação. As pessoas querem se sentir compreendidas e o abraço pode ser o veículo que transmite compreensão e empatia. A comunicação não-verbal pode ser uma forma muito poderosa de falar com seu parceiro sobre sentimentos.

Dar um abraço como forma de comunicação pode ajudar os casais a terem uma relação ainda melhor.

a você leitor, o meu melhor abraço!

Therezinha Silveira

Expectativas no casamento

1312556327-35f886ec73dc9c567dd66430f126ae48

Expectativa e realidade no casamento

 

Um relacionamento, para ser saudável, implica empatia e  renúncia do egoísmo. Algumas pessoas mantém relações para se sentirem integradas na sociedade, para provarem a si mesmas que são capazes de ser amadas, para evitar a solidão, por dinheiro ou por preguiça. Todos fadados à frustração.Uma armadilha. Em uma relação, esperamos a aceitação total, compreensão irrestrita, amor incondicional e satisfação sem limites. Vivemos uma busca ilusória de completude no outro. É nesse ponto que nos equivocamos completamente.

.

Uma relação tem que servir para você se sentir 100% à vontade com outra pessoa, à vontade para concordar com ela e discordar dela, para ter sexo sem não-me-toques ou para cair no sono logo após o jantar, pregado.

Uma relação serve para você ter com quem ir ao cinema de mãos dadas, ( ou não) para ter alguém que instale o som novo, enquanto você prepara uma omelete, para ter alguém com quem viajar para um país distante, para ter alguém com quem ficar em silêncio, sem que nenhum dos dois se incomode com isso.

Uma relação tem que servir para cobrir as despesas um do outro num momento de aperto, e cobrir as dores um do outro num momento de melancolia, e cobrirem o corpo um do outro, quando o cobertor cair.

Uma relação tem que servir para um acompanhar o outro no médico, para um perdoar as fraquezas do outro, para um abrir a garrafa de vinho e para o outro abrir o jogo, e para os dois abrirem-se para o mundo, cientes de que o mundo não se resume aos dois.

Uma relação serve, principalmente para, um e outro se sentirem amparados nas suas inquietações, para ensinar a confiar, a respeitar as diferenças que há entre as pessoas, e deve servir para fazer os dois se divertirem demais, mesmo em casa, principalmente em casa.

Enfim, casamento serve para aprender um com o outro, para crescerem juntos. ter filhos e formar uma familia, se ampar um ao outro… Vejam o que foi dito pelo proverbista (pensador) Salomão:

‘‘Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho. Porque se um cair, o outro levanta o seu companheiro; mas ai do que estiver só; pois, caindo, não haverá outro que o levante.
Também, se dois dormirem juntos, eles se aquentarão; mas um só, como se aquentará?’’

(Eclesiastes 4:9-11)