EMPATIA: colocar-se no lugar do outro, ver o mundo pelos olhos dele e sentir como ele sente.

É preciso colocar-se no lugar do seu paciente.

…. Em linhas gerais, ter consideração positiva incondicional é receber e aceitar a pessoa como ela é e expressar um afeto positivo por ela, simplesmente por ela existir, não sendo necessário que ela faça ou seja isto ou aquilo; a EMPATIA por sua vez, consiste na capacidade de se colocar no lugar do cliente, ver o mundo pelos olhos dele e sentir como ele sente.

Percebe-se então, por exemplo, que a expressão de uma afetividade incondicional só ocorre devidamente se brotar com sinceridade do psicólogo; não há como simular tal afetividade. O mesmo ocorre com a empatia e com a congruência. A partir dessa concepção primária, o processo psicoterapêutico consiste em um trabalho de cooperação entre psicólogo e cliente, cujo objetivo é a liberação desse núcleo da personalidade, obtendo-se com isso a descoberta (redescoberta) da auto-estima, da auto-confiança e do amadurecimento emocional. EmpatiaOutro ponto a considerar é que após longos estudos, chegou a conclusão de que as três condições que descobriu são eficazes como instrumento de aperfeiçoamento da condição humana em qualquer tipo de relacionamento interpessoal, tais como: na educação entre professor e aluno; no trabalho entre chefes e subordinados; na família entre pais e filhos ou entre marido e mulher.

Só para recordar, a pratica da análise pessoal, surge da necessidade do ser humano em ser ajudado em seus aspectos emocionais e intelectuais em conflito. Os conflitos são desestruturações do psíquico que se manifestam através de fobias, medos, falta de ânimo, falta de afetividade mas que nos aprisionam por exemplo em relacionamentos destrutivos, empregos inadequados, atitudes auto-sabotantes, incapacidade para sentir-se espontâneo.

Abração

Therezinha Silveira