Olá ! Sou a Psicóloga Thereza Silveira.

http://www.psicologathereza.com.br/

Olá ! Sou a Psicóloga Thereza Silveira.

Espero que goste dos textos que aqui estão, são palavras alheias e bem ditas.

A intenção é ajudar com as informações aqui contidas, se alguma delas for sua e você não quiser vê-las aqui, me avise.

E se for de alguém que não consta aqui, me conte.

Se você tem textos ou palavras bonitas que goste, me escreva.

pero que algum texto lhe toque assim como me tocou. Fale comigo!

VAMOS FALAR DA ANSIENDADE

ansiedade-1-638

 

PORQUE É TÃO DIFÍCIL PARAR DE SE PREOCUPAR?

 

A ansiedade é uma sensação ou sentimento decorrente da excessiva excitação do Sistema Nervoso Central consequente à interpretação de uma situação de perigo. É o grande sintoma de características psicológicas que mostra a intersecção entre o físico e psíquico, uma vez que tem claros sintomas físicos, como: taquicardia, sudorese, tremores, tensão muscular aumento das secreções, cefaleia. Quando recorrente e intensa também é chamada de Síndrome do Pânico (crise ansiosa aguda). Toda esta excitação acontece decorrente de uma descarga de um neurotransmissor chamado Noradrenalina, que é produzido nas suprarrenais, lócus cerúleos e núcleo amigdaloide.

 

Qual a origem da ansiedade?

  1. A primeira é que a ansiedade poderia ter uma origem genética, ou seja, a pessoa herda de seus ancestrais uma pré-disposição para ter estes sintomas. Nestes casos, as manifestações podem ser bastante precoces, sendo a pessoa desde cedo uma criança agitada, às vezes hiperativa, que chora com facilidade e às vezes até com dificuldade de dormir.
  2.  A segunda é uma infância carente e problemática, na qual as dificuldades dos pais, mas principalmente da mãe, de passar afeto e suprir as carências afetivas da criança fazem com que ela se sinta insegura e exposta,  agrave e condicione um sentimento de que coisas ruins e sensações negativas podem acontecer a qualquer momento.
  3. A terceira é a dificuldade de incorporar fatos e intercorrências novas ou desconhecidas. O velho ou conhecido sempre traz a sensação de segurança e controle.
 O novo, por sua vez, tem a capacidade de potencializar a sensação de medo no sentido de que algo ruim ou perigoso pode vir a acontecer.

 

 Uma condição em que vive o ser humano da atualidade

Ela não é uma doença em si, mas é um desequilíbrio de como vemos a nós mesmos, pensamos a nosso próprio respeito e idealizamos nossas vidas e futuro. Não é a ansiedade que nos mata, mas sim a reação que temos para com ela. 
A principal característica psíquica do estado ansioso é uma excitação, uma aceleração do pensamento, como se estivéssemos elaborando, planejando uma maneira de nos livrar do perigo e da maneira mais rápida possível.  Muitas vezes traumas de infância, grandes sustos, perdas afetivas ou mesmo materiais também podem desencadear quadros ansiosos importantes, mas não chegariam a ser causas específicas. A ansiedade corresponde à excitação do neurônio e a sua necessidade de descarregá-la. Ela, normalmente, é desencadeada quando a pessoa entra em contato com situações novas e desconhecidas ou quando a situação contém alto valor afetivo.

Para poder combatê-la, o primeiro passo é identificá-la. O corpo fica tenso, existe uma necessidade de se movimentar fisicamente (mexer pés ou mãos e inquietação em geral), a respiração está mais acelerada e o pensamento fica agitado (muitas ideias passam pela cabeça de forma acelerada). Algumas vezes a cabeça fica confusa e não se sabe direito o que se quer.

Uma vez identificado este estado deve-se focar na respiração. A frequência respiratória precisa ser diminuída. Deve se inspirar lentamente e encher o pulmão em mais ou menos 75%. Em seguida deve-se expirar e tirar todo o ar do pulmão, com a ajuda do diafragma, também de forma lenta.

 

Respire fundo, lenta e compassadamente pelo maior tempo que você for capaz, isto ajuda a desacelerar

A respiração tem a capacidade de controlar o corpo e a mente. Este tipo de exercício deve ser feito por pelo menos 10 minutos e deve-se tentar manter a cabeça vazia. Os Yogues já sabem destas coisas há mais de 3000 anos. A ansiedade é desencadeada por preocupações. Uma incerteza que desperta o nosso pessimismo, e a sensação de algo muito ruim vai acontecer. Esta é a hora de parar, quanto maior a nossa pressa para atingir o objetivo, maior a ansiedade. E que é preciso fazer algo para evitar o pior.

“Esvazie a cabeça quando estiver ansioso e confie que, de forma lenta, você chegará num ponto de proteção, abra mão mentalmente de sua meta e objetivo por um tempo. Só até recuperar o equilíbrio. Mente acelerada é mente desequilibrada” DR. Isaac Efraim.

Se depois de cuidar da respiração, (meditaçao) você não melhorar, procure a ajuda de um profissional terapeuta.

 

Este é um grito de alerta

Pessoas com maior pré-disposição a ter ansiedade são as que trabalham mais com o cérebro, são as mais intelectuais e racionais. Junte-se a isso um passado com algum trauma ou um ambiente de muita pressão ou exigência e certamente surgirá a ansiedade em algum momento da vida. A característica principal é que tal pessoa precisa estar no controle da situação. São pessoas altamente competentes, mas que se sobrecarregam com exigências de si mesmas. No fundo elas têm medo de serem rejeitadas.

Sem perceber a sociedade -consumista, rápida e estressante – alterou algo que deveria ser inviolável, o rítmo de construção de pensamentos, gerando consequencias seríssimas para a saúde emocional. Como o prazer de viver, o desenvolvimento da inteligencia, a criatividade e a sustentabilidade das relações sociais.(Segundo Augusto Cure.)

Adoecemos coletivamente!

 

Casamento, um processo de transformação

images

 

UMA DOAÇÃO CONTÍNUO

Penso que casamento é doação, uma atitude contínua de crescimento, quando duas pessoas  se propoem estar casadas, elas devem criar hábitos que ajudam a fortalecer a relação. “Atitudes rotineiras que promovem a sensação de pertencimento – do compartilhamento de um conjunto de crenças e valores comuns que dão significado ao que pensamos e sentimos – contribuem para a cumplicidade do casal. Quando um casal cria rituais que expressam o carinho e a consideração de um pelo outro, tem-se a sensação de que a relação é um pequeno universo privado com códigos e símbolos próprios. Isso acentua o vínculo conjugal porque potencializa a força identitária da linguagem e do espaço comum”. Angelita.

A individualidade de cada um deve ser preservada. Contudo, é fundamental que haja condições para que o casal se reconheça como tal, ou seja, como duas pessoas com metas, objetivos e propósitos comuns. Quando se trata de investimento de tempo do casal, na relação a dois são as saídas a passeio – o namoro – que pode incluir cinema, jantar, teatro, o que quer que satisfaça o casal. Sair à noite para um programa especial deveria ser uma proposta, no mínimo, mensal de um casal. O ritual de escolher o programa, arrumar-se, sair, investir tempo, dinheiro e afeto no lazer comum, indica que ainda desejamos encantar o outro e satisfazer a nós mesmos, o que é significativo numa relação a dois

ESTREITANDO OS LAÇOS

“Muitos casais só se tocam na hora do sexo. Fora da cama são frios, não demonstram carinho, não andam de mãos dadas, não se abraçam, nem se beijam”, diz Angelita Scardua, psicóloga especialista em felicidade, da Universidade de São Paulo (USP). Ora, como o sexo pode ser envolvente se a intimidade do casal está por um fio? Infelizmente, não existe receita de sucesso. Mas você pode repensar esse quebra-cabeça: “Ter uma vida a dois é compartilhar, trocar, se doar, dar e receber prazer”, diz Jussania. Então, invista no contato físico. Lembre: o sexo começa muito antes de irem para a cama. Dê um beijo de bom-dia na parceira, aconcheguem-se no sofá, reservem tempo para conversar. “Estreitar os laços emocionais ajuda a entender como se pode oferecer prazer.”

Segundo Angelita casais felizes comprometem-se com o prazer um do outro. Toda vez que uma pessoa vai dizer/fazer alguma coisa a uma outra, ela deveria se perguntar: O quanto de prazer e o quanto de dor a atitude dela causará. O problema é que a maioria de nós não calcula os danos que os nossos hábitos podem causar, com isso ignoramos os sentimentos do outro e agimos impulsivamente.

CULTIVE A SIMPATIA

Faça o seguinte exercício: por pelo menos um dia, tente manter o foco em tudo o que você diz e faz em relação ao outro. Pergunte-se: “O que estou para dizer/fazer causará mais sofrimento ou mais prazer para ele(a)?” As pessoas, em geral, vão ao longo do tempo habituando-se a criticar e a serem criticadas por seus parceiros indiscriminadamente. Pequenas manias, implicâncias, coisas bobas passam a fazer parte do repertório de gestos e verbos utilizados pelo casal como se não causassem nenhum dano ao vínculo afetivo.

É PRECISO ACREDITAR!

Há momentos difíceis em todos os casamentos. Sim, há momentos difíceis no seu casamento e tambem no meu. Devemos estar prevenidos sobre isso para não abandonar o barco. A tormenta pode passar. Enfim, o casamento não veio pronto e acabado, mas é algo que se constrói dia a dia com os tijolos do amor, da renúncia e do compromisso.

 

TERAPIA DE CASAL

Os desafios e dificuldades de uma vida à dois, as brigas, o fracasso e o desapontamento podem servir como um impulso para a mudança e o crescimento. É importante buscar ajuda profissional, mesmo quando parece que já esgotaram todos os recursos, pois uma relação satisfatória é um bem imensurável. É preciso se dar a chance. Continuar lendo